Building peace in the minds of men and women

Grande Angular

Léxico da Inteligência Artificial

Os termos destacados com um asterisco estão definidos neste glossário

Algoritmos

A palavra é derivada do nome de um matemático persa do século IX, Muhammad ibn Musa al-Khwarizmi (por volta do ano de 820), que introduziu os números decimais no Ocidente. Hoje, significa uma série de instruções que devem ser executadas automaticamente por um computador. Algoritmos estão ativos em todas as áreas, desde as consultas em mecanismos de busca e a seleção de informações sugeridas aos usuários de internet até os mercados financeiros.

Aprendizagem profunda

No lado mais avançado da machine learning*, esta técnica permite que uma máquina reconheça conceitos complexos como rostos, corpos humanos ou imagens de gatos de maneira independente. Isto é feito com a análise de milhões de imagens retiradas da internet – imagens que não foram rotuladas pelos seres humanos. Resultado de uma combinação de algoritmos de aprendizagem e redes neurais formais* e do uso de dados em massa, a aprendizagem profunda revolucionou a inteligência artificial. Ele possui muitas aplicações, como em mecanismos de busca, diagnósticos médicos, carros autônomos etc. Em 2015, o computador AlphaGo utilizou a aprendizagem profunda para vencer seres humanos em Go, um antigo jogo de tabuleiro chinês.

Big data

Um conjunto de dados digitais que, por meio de seu volume, ultrapassa a intuição humana e suas habilidades analíticas. Geramos cerca de 2,5 trilhões de bytes de dados todos os dias na internet, por meio de e-mails, vídeos, informações sobre o clima, sinais de GPS, transações online etc. Nenhuma ferramenta tradicional de gerenciamento de base de dados tem a capacidade de processar essa quantidade de dados – e foi preciso o desenvolvimento de novos algoritmos* para armazená-la, classificá-la e analisá-la.

Bioconservadores

Para os transumanistas*, são bioconservadores as pessoas que criticam seu ideal, ou seja, o homem aumentado – são indivíduos retrógrados que se negam a alterar as leis da vida e da natureza, muito embora a tecnologia torne isso possível de se fazer.

Criogenia humana

Técnica para a conservação em nitrogênio líquido de um corpo ou de uma cabeça humana após a morte de um indivíduo, com o objetivo de ressuscitá-lo um dia.

Hibridização entre humanos e máquinas

Este processo permite a conexão entre o corpo humano e um sistema tecnológico. A conexão pode ser física, assim como a prótese de um braço controlada pela mente, ou pode ser virtual, como os óculos do Google controlados por comando de voz, que podem mostrar informações ou imagens em um canto das lentes, sobrepostas a nossa visão habitual.

Homem aumentado

O homem aumentado é o ideal transumanista*, que compreende um indivíduo submetido a modificações para melhorar seu desempenho devido a intervenções no corpo baseadas em princípios científicos ou tecnológicos. Parte homem, parte máquina, o indivíduo estaria apto a correr mais rápido, enxergar bem no escuro, suportar dor, possuir habilidades intelectuais aprimoradas, resistir a doenças ou a morte etc. O “homem consertado” já existe e próteses “conectadas” são aprimoradas a cada dia. Gradualmente, o homem aumentado está se tornando uma realidade com o desenvolvimento de esqueletos externos artificiais utilizados para fins militares.

IA limitada/ IA sólida ou Inteligência Artificial Geral (IAG)

A IA existente é caracterizada como IA limitada ou fraca – máquinas capazes de desempenhar determinadas tarefas precisas de maneira autônoma, mas sem consciência, dentro de uma estrutura definida por humanos, e seguir decisões tomadas apenas por humanos.

IA sólida ou IAG seria uma máquina que possui consciência e sentimentos, capaz de oferecer soluções para qualquer tipo de problema – o que é pura ficção, por enquanto.  

Internet das Coisas

Um conceito de computação que descreve a ideia de objetos do dia a dia ou locais no mundo físico que estão conectados à internet e capazes de identificar-se com outros dispositivos. Um objeto conectado coleta dados (temperatura, velocidade, umidade etc.) por meio de sensores, e os envia pela internet para a análise de computadores. O objeto pode ser um veículo, um relógio, uma máquina industrial ou mesmo uma vaga de estacionamento.

Machine learning  

Uma máquina que utiliza um programa de aprendizagem automática (ou aprendizado de máquina) para solucionar problemas por meio de exemplos, para comparar e classificar dados, ou até mesmo para reconhecer formas complexas. Em 2010, antes do advento da aprendizagem profunda*, este tipo de programa precisava ser monitorado por humanos – cada imagem necessitava ser explicitamente rotulada como contendo uma face humana, uma cabeça de gato etc., de modo que a máquina pudesse desempenhar a operação de reconhecimento solicitada.

Neoconexionismo

Uma teoria que surge dos campos da ciência cognitiva e da neurociência, o neoconexionismo propõe desenvolver modelos de computador com o objetivo de estimular a aprendizagem por meio de redes neurais formais*, dos quais a organização e funcionamento foram designados por analogia a sistemas neurais fisiológicos.

Nuvem

Sistemas computacionais diferentes que envolvem uma grande quantidade de computadores conectados uns aos outros, e que trocam mensagens em tempo real por meio da internet. Um cálculo ou o armazenamento da informação lançados por um computador podem ser carregados por uma rede de computadores interconectados, criando assim uma nuvem...

Realidade aumentada

A sobreposição de elementos virtuais na realidade, calculada por um sistema de computador em tempo real (como sons, vídeo-imagens 2D e 3D etc.). Esta técnica é utilizada em vídeo games e no cinema, onde o espectador interage com objetos virtuais por meio de sensores. Também é utilizada em aplicativos de geolocalização e de patrimônio. Por exemplo, a Abadia de Cluny, na França, utiliza telas de realidade aumentada para que os visitantes visualizem a cidade como ela era no século XV..

Realidade virtual imersiva

Um universo virtual, gerado por computador, no qual o usuário imerge nesse universo por meio de diversos sensores ou objetos (óculos, roupas de resposta sensorial etc.). A imersão em realidade virtual pode envolver um jogador de vídeo game ou um piloto de aeronave em treinamento.

Redes neurais formais

São algoritmos implementados por um computador para replicar as conexões neurais do cérebro. Os sistemas de redes neurais formais existentes são muito mais limitados do que a inteligência humana. Ainda assim, são responsáveis por estimar a velocidade de um veículo de acordo com movimentos do pedal acelerador e da inclinação da estrada; a solidez de um material como função de sua composição química e sua temperatura de processamento; ou a solvência de um negócio de acordo com seu faturamento etc..

Representação semântica de conhecimento

Algoritmos* para formular uma frase escrita em qualquer língua, de maneira lógica, para que um computador possa interpretá-la (por exemplo, “Paulo pega o ônibus para Berlim”). A máquina pode então fazer inferências lógicas (como deduções) que permitem a classificação de palavras em diferentes categorias e analisa as frases submetidas a ela.

Transferência mental

De acordo com os transumanistas*, nossas sensações, pensamentos e emoções podem ser resumidos em conexões neurais. A transferência mental é a ideia transumanista de que os “conteúdos” do cérebro humano podem ser reduzidos a um conjunto de informações que podem ser traduzidas em um código binário, e, dessa maneira, transferidos para um computador.

Transumanismo

Um movimento cujos seguidores desejam alcançar a condição “pós-humana” ao eliminar deficiências, sofrimentos, doenças, envelhecimento e morte por meio da “convergência NBIC” (a convergência de nanotecnologia, biotecnologia, tecnologia da informação e ciência cognitiva). Eles promovem o uso de clonagem humana, realidade virtual*, hibridização entre humanos e máquinas e transferência mental*. Seus oponentes os acusam de especulação excessiva, de fundação de uma nova ordem mística que idolatra a tecnologia, e de fantasiar sobre um “super-humano” com implicações eugenistas.

Vida artificial

Um campo de pesquisa interdisciplinar que procura criar sistemas artificiais inspirados em sistemas vivos, na forma de programas de computadores ou robôs.