Building peace in the minds of men and women

Editorial

Editorial por Irina Bokova

Por Irina Bokova

Desde a sua criação em 1948, O Correio da UNESCO tem difundido um ideal por todo o mundo: a humanidade unida em sua diversidade em torno de valores universais e direitos fundamentais, forte na riqueza de suas culturas, de seu conhecimento e de suas realizações.

O Correio da UNESCO é um elemento-chave da identidade da UNESCO, assim como uma das ferramentas mais poderosas para o seu mandato humanista. Em 1988, Sandy Koffler, o fundador e primeiro editor-chefe do periódico, disse: “De todos os periódicos publicados pelas Nações Unidas e suas instituições especializadas, O Correio da UNESCO sempre ocupou o primeiro lugar, pela quantidade de seus leitores e pelo alcance de sua audiência”. Em todos os continentes e durante 70 anos, O Correio incorporou a missão da UNESCO: construir a paz na mente de homens e mulheres por meio da disseminação de conhecimento e culturas, do livre fluxo de ideias e informações por meio de palavras e imagens, para ajudar a fortalecer o entendimento mútuo, o espírito da tolerância, o debate consciente e a paz. O ressurgimento deste periódico histórico em 2017, por meio do generoso apoio da República Popular da China, é muito mais do que a retomada de uma empreitada editorial: é uma oportunidade valiosa de renovar o nosso compromisso com os valores fundadores de O Correio.
 
A publicação desta edição, que marca o relançamento de O Correio da UNESCO, é particularmente apropriada, considerando que ela se insere na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que as Nações Unidas aprovaram em setembro de 2015. Essa nova agenda representa um ponto de inflexão rumo a uma atitude mais humanista nas políticas globais de desenvolvimento, que dependa das capacidades de resposta das pessoas aos desafios da paz e da mudança climática por meio da educação, da ciência e da cultura, que é um elemento subjacente a cada um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.
 
Estamos convencidos de que em um mundo cheio de limitações – em termos de nossos recursos e nossos meios – a humanidade pode contar com os recursos renováveis de sua inteligência, de sua criatividade e de sua engenhosidade. Essa riqueza, estimulada pela exigência moral de respeitar os direitos e a dignidade de cada indivíduo, representa uma fonte infinita de progresso. Para libertar esse potencial, também devemos ajudar na conscientização sobre a riqueza criativa da humanidade, e O Correio pode contribuir para isso promovendo a circulação de palavras de paz, confiança e inteligência como resposta ao discurso do ódio, do medo e da rejeição que na atualidade é facilmente disseminado na internet e nas ruas. O Correio da UNESCO é também uma ferramenta poderosa desse anseio fundamental, e por isso eu chamo todos os Estadosmembros da UNESCO e parceiros e, acima de tudo, todos os intelectuais, artistas e especialistas, para que façam suas vozes serem ouvidas, enriquecendo as páginas deste Correio, que inspirou tantas gerações de leitores e vai continuar a fazê-lo por um longo tempo.
 

Siga @IrinaBokova no Twitter