Bienal de Luanda: Fórum Pan-africano para a Cultura de Paz – 18-22 setembro

13/09/2019

The Director-General of UNESCO, Audrey Azoulay, will open the 5-day Biennale of Luanda that will take place from 18 to 22 September in the capital of Angola, with the participation of representatives of governments, civil society and international organizations, as well as artists and scientists from the African continent and diaspora.

The Director-General will take part in the opening of the Biennale alongside João Manuel Gonçalves Lourenco, President of Angola, Ibrahim Boubacar Keïta, President of Mali, Moussa Faki Mahamat, Chairperson of the Commission of the African Union, and Denis Mukwege, 2018 Nobel Peace Prize laureate.

The presidents of Republic of the Congo, and Namibia are also scheduled to attend the 1st edition of the Luanda Biennale, which will be organized around three main axes:

  1. Partners' Forum, Alliance for Africa: Created by UNESCO last year, the Alliance mobilizes donors, public and private sector companies, regional and international organizations around sustainable development projects in Africa targeting a wide range of areas in UNESCO’s mandate including heritage preservation and support for free and pluralistic media.
  2. Forum of Ideas - Youth and Women's Forums: three platforms of reflection on the future of Africa, focusing on the dissemination of good practices and solutions for the prevention of crises, and the resolution and attenuation of conflicts;
  3. Festival of Cultures: showcasing the cultural diversity of African countries and the African diaspora.

Born of a partnership between Angola, the African Union and UNESCO, the Forum is designed to promote the prevention of violence and the resolution of conflicts by facilitating cultural exchanges in Africa and the African diaspora, and connect organizations and actors working on this field throughout the Continent. It is to nurture reflection and facilitate the dissemination of artistic works, ideas and knowledge pertaining to the culture of peace. It is inspired by the 2006 Charter for African Cultural Renaissance.

During her visit to Angola, the Director-General of UNESCO will also sign a partnership agreement for the establishment of national doctoral programme in science, technology and innovation, aimed at training 160 doctoral candidates by 2020. The project is part of a wider partnership to strengthen Angola’s education, science, and cultural capacities.

****

More about the Forum: https://en.unesco.org/biennaleluanda2019

Journalists wishing to cover the Biennale are invited to request accreditation online: https://ciam.gov.ao/credenciamento/ (link is external)

Media contact:

Roni Amelan, UNESCO Media Section (Paris): r.amelan@unesco.org

Ophélie Kukansami-Leger (UNESCO, in Luanda): o.kukansami-leger@unesco.org, +244 927 271 253

A diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, realizará a abertura da Bienal de Luanda, que acontecerá entre os dias 18 e 22 de setembro na capital de Angola, com a participação de representantes de governos, da sociedade civil e de organizações internacionais, bem como de artistas e cientistas do continente africano e da diáspora.

A diretora-geral participará da abertura da Bienal juntamente com o presidente de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenco, o presidente do Mali, Ibrahim Boubacar Keïta, o presidente da Comissão da União Africana (UA) e o ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2018, Denis Mukwege.

Os presidentes da República do Congo e da Namíbia também devem comparecer à primeira edição da Bienal de Luanda, que será organizada em torno de três eixos principais:

  1. Fórum de Parceiros: Aliança para a África – criada pela UNESCO no ano passado, a Aliança mobiliza doadores, empresas dos setores público e privado, e organizações regionais e internacionais em relação a projetos de desenvolvimento sustentável na África, tendo como alvo uma ampla gama de áreas de mandato da UNESCO, incluindo a preservação de patrimônio e o apoio a uma mídia livre e pluralista.
  2. Fórum de Ideias: Fóruns da Juventude e das Mulheres – três plataformas para a reflexão sobre o futuro da África, com foco na disseminação de boas práticas e soluções para a prevenção de crises, bem como na resolução e atenuação de conflitos.
  3. Festival de Culturas – que mostrará a diversidade cultural dos países africanos e da diáspora africana.

Fruto de uma parceria entre Angola, a UA e a UNESCO, o Fórum foi planejado para promover a prevenção da violência e a resolução de conflitos, por meio da facilitação de intercâmbios na África e na diáspora africana, assim como para conectar organizações e outros atores que trabalham nesse campo em todo o continente. Seu objetivo consiste em alimentar a reflexão e facilitar a disseminação de obras artísticas, ideias e conhecimento relativos à cultura de paz. O Fórum é inspirado pela Carta da Renascença Cultural da África, aprovada pela UA em 2006.

Durante sua visita a Angola, a diretora-geral da UNESCO também assinará um acordo de parceria para o estabelecimento de um programa nacional de doutorado e ciência, tecnologia e inovação, destinado a formar 160 doutorandos até 2020. Esse projeto faz parte de uma parceria mais ampla para fortalecer as capacidades educacionais, científicas e culturais de Angola.

****
Mais informações sobre o Fórum: https://en.unesco.org/biennaleluanda2019 (em inglês e nos idiomas oficiais da UNESCO)
Os jornalistas que desejarem cobrir a Bienal devem solicitar o credenciamento online: https://ciam.gov.ao/credenciamento/ (link externo) 

Contato para a imprensa (em inglês):
Roni Amelan, UNESCO Media Section (Paris): r.amelan@unesco.org 
Ophélie Kukansami-Leger (UNESCO, em Luanda): o.kukansami-leger@unesco.org
+244 927 271 253