Celebração do Dia Mundial da Língua Portuguesa e dos 60 anos de Brasília

05/05/2020

Em 12 de novembro de 2019, a Conferência Geral da UNESCO proclamou o dia 5 de maio de cada ano como o Dia Mundial da Língua Portuguesa. O ano de 2020 marca a primeira vez em que a UNESCO celebra esse Dia Mundial, em parceria com as embaixadas dos países de língua portuguesa membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e com o Governo do Distrito Federal (GDF). Nesta ocasião, também celebram juntos o 60º aniversário de Brasília, um dos sítios do Patrimônio Mundial no Brasil reconhecido pela UNESCO.

Sobre a língua portuguesa

De acordo com a Proclamação da UNESCO, “a língua portuguesa é uma das línguas mais usadas da família indo-europeia e uma das línguas mais difundidas no mundo, com mais de 265 milhões de falantes. É a língua mais falada no Hemisfério Sul, e seus usuários estão espalhados por todos os continentes.

A língua portuguesa é ensinada oficial e não oficialmente em muitos países do mundo. O português é a língua oficial de nove Estados – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste –, e também da Região Administrativa Especial de Macau, na China. É uma das línguas oficiais das organizações continentais União Africana (UA), Organização dos Estados Americanos (OEA) e União Europeia (EU), e de várias organizações regionais, além de ser uma língua oficial da Conferência Geral da UNESCO".

O valor da diversidade linguística

A linguagem não é apenas uma ferramenta de comunicação. Ela é portadora de todo um nexo de expressões culturais e transmite identidade, valores e visões de mundo. É um recipiente que contém a diversidade cultural e o diálogo entre as civilizações. É uma ponte que permite relações mais estreitas entre as sociedades, uma diversidade mais rica de formas de expressão e interação e a troca de apoio e empoderamento. A língua portuguesa ocupa um lugar central nessa abordagem, tendo em vista sua história, sua geografia, seu acervo lexical de outras línguas e seus próprios termos e expressões que enriquecem outras línguas. 

O multilinguismo, um valor central das Nações Unidas, é um fator essencial na comunicação harmoniosa entre os povos, que promove a unidade na diversidade e na compreensão, bem como a tolerância e o diálogo internacionais. A Assembleia Geral das Nações Unidas, por meio de sua Resolução 71/328 sobre o multilinguismo, de 11 de setembro de 2017, saudou a implementação de um dia dedicado a cada uma de suas línguas oficiais, a fim de informar e conscientizar sobre sua história, cultura e uso, e incentivou o secretário-geral da ONU e suas agências, como a UNESCO, a estender essa importante iniciativa a outras línguas não oficiais faladas em todo o mundo.

Também para a UNESCO, a diversidade linguística e o multilinguismo são domínios de importância estratégica que a Organização promove em todos os campos do seu mandato, por meio de uma abordagem interdisciplinar que envolve todos os setores do seu programa. Existe uma consciência crescente de que as línguas desempenham um papel essencial no desenvolvimento, não apenas na garantia da diversidade cultural e do diálogo intercultural, mas também na educação de qualidade para todos e no fortalecimento da cooperação, na construção de sociedades do conhecimento inclusivas, na preservação do patrimônio cultural e na mobilização de vontade política para aplicar os benefícios da ciência e da tecnologia ao desenvolvimento sustentável.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi criada em 1996 como um fórum multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua, a consulta político-diplomática e a cooperação entre seus membros, cujos povos têm a língua portuguesa como um dos fundamentos de suas identidades específicas. A Declaração Constitutiva da CPLP reafirma que a língua portuguesa é um meio privilegiado de disseminar a criação cultural entre os povos que a falam e de projeção internacional de seus valores culturais, em uma perspectiva aberta e universalista.