Conectividade, gênero e professores: como a Coalizão Global de Educação está apoiando a recuperação da aprendizagem na COVID-19

29/03/2021

A pandemia da COVID-19 atingiu o setor de educação com força total, interrompendo as aulas em todo o mundo e ameaçando anular décadas de progressos obtidos em direção à aprendizagem. Um ano após o início da crise, a situação permanece desoladora: metade da população estudantil do mundo ainda é afetada pelo fechamento total ou parcial das escolas; quase um terço dos estudantes não tem acesso ao ensino à distância; mais de 11 milhões de meninas talvez nunca mais voltem para a escola; e mais de 100 milhões de crianças ficarão abaixo do nível mínimo de proficiência em leitura devido ao impacto do fechamento das escolas. A menos que sejam tomadas medidas urgentes hoje, mais de 24 milhões de crianças e jovens correm o risco de abandonar a escola. 

Em março de 2020, à medida que a pandemia revelava e ampliava as desigualdades na educação, a UNESCO rapidamente mobilizou apoio para garantir a continuidade da aprendizagem em todo o mundo e estabeleceu a Coalizão Global de Educação. Essa coalizão multissetorial reúne 175 parceiros institucionais vindos da família das Nações Unidas, da sociedade civil, das universidades e do setor privado, que atualmente trabalham 112 países em torno de três temas centrais: conectividade, gênero e professores. Um novo relatório, publicado em inglês antes de uma reunião ministerial de alto nível, apresenta as respostas inovadoras que foram obtidas por meio dessa parceria única firmada no ano passado..

Como a Coalizão Global de Educação opera e quais são as suas realizações?

A Coalizão Global de Educação se tornou uma plataforma essencial para apoiar os Estados-membros nas respostas aos desafios sem precedentes que o setor da educação enfrenta. As contribuições da Coalizão não substituem as respostas nacionais, mas envolvem novos atores que não seriam parceiros óbvios, como organizações das áreas de tecnologia e mídia, a fim de complementar e apoiar os esforços nacionais para garantir a continuidade da aprendizagem.

Atualmente, os membros da Coalizão estão engajados em 233 projetos, desenvolvidos em 112 países. Pelo menos 400 milhões de estudantes e 12 milhões de professores estão sendo beneficiados, direta ou indiretamente, pelas ações da Coalizão. Aqui estão alguns exemplos (mundiais, regionais e específicos de países) de ações que já foram realizadas até o momento.

  • Na África Ocidental, foi lançada a plataforma de aprendizagem online regional da África francófona, Imaginécole, como um componente principal de um projeto de Parceria Global para a Educação, para melhorar a qualidade da educação à distância em dez países: Benin, Burkina Faso, Cameroun, Costa do Marfim, Guiné, Mali, Níger, Senegal, Chade e Togo. A plataforma oferece uma experiência de larga escala em educação à distância para 6,6 milhões de estudantes e 200 mil professores, com mais de 600 recursos educacionais.
  • Mais de 5 milhões de meninas nos 20 países com as maiores disparidades de gênero na educação receberão apoio para cumprir seu direito à educação, com foco em trazer de volta à escola as meninas mais marginalizadas por meio de uma ampla gama de ações. Isso inclui a disseminação de informações e o aumento da conscientização, a aquisição de habilidades e o fornecimento de recomendações baseadas em evidências para os tomadores de decisão.
  • A Global Skills Academy, estabelecida para ajudar a prover 1 milhão de jovens com habilidades digitais para se adaptarem às mudanças nos locais de trabalho, até o momento alcança 142 mil beneficiários. Desde o seu lançamento, a Academy já mobilizou mais de 150 instituições de ensino técnico e professional (TVET) em 56 países e, agora, está trabalhando de forma ativa com 15 parceiros para matricular 75 mil estudantes e professores a mais nos próximos dias.
  • Em resposta à explosão que abalou Beirute, capital do Líbano, em agosto de 2020, os membros da Coalizão mobilizaram compromissos financeiros, assistência técnica e apoio à capacitação para restaurar escolas danificadas, fornecer assistência técnica a professores, garantir o acesso ao ensino à distância com conteúdo e apoiar a educação superior. A UNESCO e seus parceiros estão apoiando a recuperação de 55 escolas públicas, 20 instituições públicas de educação e formação técnica e profissional (EFTP) e 3 universidades.
  • Na África do Sul, foi lançado um serviço de suporte para professores com base em um aplicativo de telefone desenvolvido com um parceiro, com o objetivo de fornecer uma plataforma de aprendizagem e orientação baseada em bate-papo em tempo real, juntamente com um recurso de bem-estar e segurança. Atualmente, o serviço tem mais de 67,2 mil usuários e planeja alcançar mais 400 mil professores nos próximos meses.
  • A UNESCO está apoiando uma plataforma open source para o ensino à distância em casa e um repositório regional de recursos, alinhados ao currículo, para estudantes e professores em Kiribati, Ilhas Marshall, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga e Tuvalu.  
  • Com o apoio da Sociedade Alemã para Cooperação Internacional (GIZ), a UNESCO está lançando um programa de formação de professores para 20 países do Caribe, bem como um treinamento em habilidades digitais e socioemocionais para migrantes e refugiados no Peru.

 

Leia mais e conheça a Coalizão Global de Educação e o seu novo relatório de progresso (em inglês).

Acesse o primeiro relatório de progressp, de setembro de 2020 (em inglês).

 

Em 29 de março, a UNESCO organizou um evento ministerial de alto nível para realizar um balanço das lições aprendidas, dos maiores riscos que a educação enfrenta atualmente e das estratégias para não deixar nenhum estudante para trás. O evento mostrou como a Coalizão Global de Educação mobilizou parceiros para apoiar estudantes, professores e formuladores de políticas com novas ferramentas e conhecimentos.