Incêndios no bioma do Pantanal

05/08/2020

O Centro do Patrimônio Mundial e a Secretaria do Programa Homem e Biosfera (MAB) da UNESCO observa com atenção ao grande número de incêndios que atingiram o bioma do Pantanal nas últimas semanas.

Segundo informações fornecidas por especialistas e bombeiros no local, bem como a partir de dados via satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), amplamente divulgadas pela imprensa internacional, várias dezenas de milhares de hectares deste território foram destruídos por incêndios durante o mês de julho.
 

De acordo com a informação disponível, alguns destes incêndios poderiam estar a ocorrer no Sítio do Património Mundial "Área de Conservação do Pantanal" y en la Reserva da Biosfera do Pantanal, ou nas áreas em seu redor. 

O Centro do Patrimônio Mundial e o Secretariado do Programa Homem e Biosfera (MAB) da UNESCO saúdam os esforços das autoridades competentes e estão prontos para apoiá-las na mobilização de apoio técnico e financeiro para lidar com esta situação. 

É importante fazer tudo o que for humanamente possível para superar este flagelo que ameaça a biodiversidade deste que é também a maior planície alagada do planeta

Mechtild Rössler, diretora do Centro do Patrimônio Mundial e Miguel Clüsener-Godt, secretário do MAB

O Pantanal se estende principalmente nos estados brasileiros de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, e nos territórios da Bolívia e Paraguai. Em 2000, parte deste bioma, a "Área de Conservação do Pantanal", representando 1,3% do Pantanal brasileiro, foi inscrita na Lista do Patrimônio Mundial. No mesmo ano, 26.400.000 hectares foram nomeados como Reserva da Biosfera da UNESCO, tornando-a a terceira maior reserva da biosfera do mundo, com uma surpreendente diversidade de flora e fauna, contendo pelo menos 4.700 espécies descritas. O patrimônio mundial e a reserva da biosfera são também o lar de quase dois milhões de pessoas.