News

Relatório GEM exorta Brasil e países da região a promoverem inclusão na educação em face da pandemia

23/04/2021
04 - Quality Education

Webinar de lançamento acontece na próxima terça-feira (27) e reúne especialistas e atores do setor para debate sobre os resultados da pesquisa. Evento será transmitido no canal UNESCO Portuguese no Youtube e contará com audiodescrição e tradução em Libras

A UNESCO no Brasil, em parceria com a equipe do Relatório GEM e o Escritório Regional da OREALC/UNESCO Santiago, vai realizar na próxima terça-feira (27), às 10h, o webinar de lançamento do “Relatório de Monitoramento Global da Educação 2020: inclusão e educação: todos, sem exceção”. O objetivo deste evento virtual é apresentar as principais conclusões e recomendações da pesquisa e promover no país um diálogo político fundamentado sobre inclusão na educação, sobretudo no contexto da crise causada pela pandemia da Covid-19.

O Relatório GEM 2020 foi produzido pelo OREALC/UNESCO Santiago e o Laboratório de Educação, Pesquisa e Inovação na América Latina e o Caribe (SUMMA), e apresenta uma profunda análise sobre os principais fatores que levam à exclusão de estudantes nos sistemas educacionais de todo o mundo, além de fornecer recomendações aos formuladores de política para garantir que crianças e jovens da região possam crescer e se desenvolver em sistemas educacionais mais justos e sustentáveis.   

Segundo dados da pesquisa, em decorrência da pandemia, aumentaram as chances de meninos e meninas abandonarem a escola nos países da América Latina e Caribe. educação. A frequência escolar e as taxas de alfabetização são mais baixas para jovens com deficiência, falantes de línguas indígenas e afrodescendentes. A probabilidade de afrodescendentes concluírem o ensino médio foi 14% menor do que a de não afrodescendentes no Peru e 24% menor no Uruguai. No Brasil, a proporção de pobreza é de 26% para afrodescendentes e 12% para outros, levando a uma situação de discriminação estrutural dentro e fora das salas de aula.  

O ensino a distância durante a COVID-19 é um substituto precário para o ensino em sala de aula e os estudantes mais marginalizados ficaram ainda mais para trás. Programas de recuperação serão vitais para ajudar esses estudantes a suprir o atraso. Mas, para saber onde investir esforços, à medida que saímos dessa crise, precisamos identificar os estudantes mais marginalizados, o que requer melhores dados. Os governos devem priorizar isso ao fazer planos para o ano à frente

afirma Manos Antoninis, diretor do Relatório GEM.

Embora alguns países estejam em transição para a inclusão, percepções equivocadas e segregação ainda são comuns. Cerca de 60% dos países da região têm uma definição de educação inclusiva, mas apenas 64% dessas definições cobrem vários grupos marginalizados, o que sugere que a maioria dos países ainda não adotou um conceito amplo de inclusão. O Relatório inclui um conjunto de recomendações-chave para a próxima década que ajudarão os países a alcançar os objetivos da Agenda 2030 e exorta que as escolas sejam mais inclusivas. 

Para o webinar de lançamento da próxima terça estão previstos, além da apresentação dos dados da pesquisa, um painel para discussão com especialistas e atores relevantes do país que trabalham para fomentar a inclusão na educação. O evento terá a duração de 90 minutos e será transmitido com audiodescrição e tradução em Libras. Acompanhe o webinar de lançamento do Relatório GEM acessando o canal UNESCO Portuguese no YouTube

 

Mais informações