Press release

UNESCO adverte que apenas metade dos currículos nacionais de todo o mundo fazem referência à mudança climática

31/10/2021

Atualmente, os sistemas de educação não abordam a gravidade da crise climática – é o que alerta a UNESCO, a principal agência da ONU na área educacional, antes da primeira reunião conjunta de ministros do Meio Ambiente e da Educação na COP26, em Glasgow, em 5 de novembro.

Os novos dados da UNESCO, relativos a 100 países, mostram que apenas 53% dos currículos nacionais de educação de todo o mundo fazem alguma referência à mudança climática e, quando o assunto é mencionado, quase sempre sua prioridade é muito baixa. 

Além disso, menos de 40% dos professores que participaram da pesquisa da UNESCO e da Education International estavam confiantes quanto a ensinar sobre a gravidade da mudança climática, e apenas cerca de um terço deles se sentia capaz de explicar os efeitos da mudança climática em sua região ou localidade.

A crise climática não é mais a ameaça de um futuro distante, mas uma realidade global. Não há solução sem educação. Todos os estudantes precisam entender a mudança climática e ter autonomia para fazer parte da solução, e todos os professores devem ter conhecimento para ensinar sobre o assunto. Os Estados devem se mobilizar para isso.

Audrey Azoulay, diertora-geral da UNESCO

Quando questionados sobre os desafios do ensino sobre a mudança climática, 30% dos 58 mil professores entrevistados relataram não estar familiarizados com pedagogias adequadas. Mais de um quarto dos entrevistados sente que certas abordagens para ensinar educação climática não são adequadas para o ensino online. Isso é particularmente preocupante, dado que 737 milhões de estudantes em 66 países ainda são afetados pelo fechamento total ou parcial das escolas.

Diante dessas constatações, a UNESCO decidiu organizar em 5 de novembro, com o Reino Unido e a Itália, países copresidentes da COP26, o evento Together for Tomorrow: Education and Climate Action (Juntos pelo Amanhã: Educação e Ação Climática), a primeira reunião conjunta de ministros do Meio Ambiente e da Educação, na própria COP26, em Glasgow.

A educação para o clima e a sustentabilidade deve ser integrada ao currículo, para ir além do simples conceito de sustentabilidade e recriar a escola e todo o planeta.

Patrizio Bianchi, ministro da Educação da Itália

A UNESCO enfatizará a necessidade de colaboração entre os setores de educação e meio ambiente para integrar com êxito a mudança climática nos sistemas educacionais de todo o mundo, em todos os níveis de escolaridade.

O evento se baseia na reunião de educação Youth4Climate education session, organizada em conjunto pela UNESCO e pelo Ministério da Educação da Itália, em que jovens ativistas do clima discutiram seus apelos por uma educação climática de qualidade com seis ministros da Educação.

O evento Together for Tomorrow (Juntos pelo Amanhã) acontece em 5 de novembro, de 16h às 17h30, na Blue Zone, e estará aberto para aqueles que tiverem ingressos para a área.