UNESCO enfatiza a importância da segurança de jornalistas frente à pandemia da COVID-19

27/03/2020
17 - Partnerships for the Goals

O diretor-geral adjunto de Comunicação e Informação da UNESCO, Moez Chakchouk, declarou hoje sua preocupação quanto à segurança dos jornalistas na cobertura da crise de saúde mundial da COVID-19.

“O papel dos jornalistas em informar o público durante a crise em curso é absolutamente fundamental”, disse Chakchouk, enfatizando que o trabalho jornalístico pode salvar vidas na atual situação de emergência.

“A segurança física e psicológica dos jornalistas deve vir em primeiro lugar”, afirmou Chakchouk. As agências de mídia devem garantir que os jornalistas sejam treinados em precauções sanitárias e estejam equipados com materiais de proteção. Ao enviar jornalistas para noticiar sobre o vírus, sua segurança deve ser uma prioridade.

Ele também lembrou que os Estados e os responsáveis pelo jornalismo devem garantir a segurança dos jornalistas na cobertura da crise sanitária e de suas implicações sociais, conforme os padrões internacionais de liberdade de expressão.

Além das preocupações com a segurança física, os jornalistas estão trabalhando sob considerável estresse psicológico. Enquanto alguns jornalistas estão trabalhando sob a pressão de cobrir uma situação em constante evolução, outros estão preocupados com sua segurança no emprego.

Jornalistas freelancers são ainda mais vulneráveis em termos de segurança física e psicológica, pois nem sempre têm acesso aos mesmos recursos e apoio que os jornalistas de empresas de mídia.

Chakchouk afirmou que a liberdade de imprensa é agora mais importante do que nunca e pediu a todos os Estados-membros que garantam que os jornalistas possam reportar sobre a COVID-19 sem interferência. “Em tempos de crises da saúde, a importância de um jornalismo preciso e confiável não pode ser exagerada”, afirmou.

O diretor-geral adjunto da UNESCO também destacou a importância de se garantir um ambiente propício à liberdade de imprensa para que os jornalistas noticiem sobre a crise de maneira independente, e incentivou os governos a aumentar a quantidade de informações disponíveis ao público.

“O relatório da diretora-geral da UNESCO sobre a segurança de jornalistas e a questão da impunidade, a ser lançado ainda este ano, destacará a questão da proteção dos jornalistas durante esta pandemia”, anunciou Chakchouk.

A UNESCO e seus parceiros estão desenvolvendo uma série de iniciativas, a serem lançadas nas próximas semanas, para tratar dessas preocupações.

A UNESCO promove a segurança dos jornalistas por meio da conscientização, da capacitação e de uma série de ações em âmbito mundial, sobretudo no marco do “Plano de Ação das Nações Unidas sobre Segurança de Jornalistas e a Questão da Impunidade”.

Moez Chakchouk
diretor-geral adjunto de Comunicação e Informação

Moez Chakchouk
Assistant Director General for Communication & Information