News

UNESCO lança Programa sobre Cultura Oceânica no Brasil

02/09/2019
14 - Life Below Water

Whether we realize it or not, our life and routine are connected daily to the ocean. Our climate, food, history and economy – amongst many other things – are directly influenced by the ocean. And this is true for everyone, those who live in the coastal areas and for all those who live far from the coast too. 

 

Simply put, our relationship with the ocean should be recognized as a culture – an ocean culture that involves that involves knowledge, respect, art, customs and is embroidered into the fabric of our lives.

 

In this context, UNESCO’s Intergovernmental Oceanographic Commission (IOC) launched its Ocean Literacy programme, including an online portal to promote awareness and exchange of knowledge, and a teaching guide and toolkit to mainstream ocean literacy into schools worldwide. Promoting Ocean Literacy is one of UNESCO’s goals for the Decade of Ocean Science for Sustainable Development (the Ocean Decade), which the United Nations (UN) has proclaimed for the years 2021 to 2030. 

 

This week, through a partnership between the Federal University of São Paulo’s Maré de Ciência Project and the Secretariat of Environment of the Santos Municipality, a Portuguese translation of IOC’s “Ocean Literacy for all: A toolkit” will be released for use in public and private schools throughout the state of São Paulo and, ultimately, anywhere in Brazil.

 

The Portuguese kit will be formally launched during an event on 5-6 September in Santos, Brazil’s largest port city. The launch will be attended by staff from UNESCO’s IOC, notably the kit’s author Francesca Santoro, coordinator of the organization’s Ocean Literacy program, and Vinicius Lindoso, IOC Communication Officer.

 

Cultura Oceânica, the Brazilian term for Ocean Literacy, is an invitation for schools, companies, NGOs, government, universities, communities, citizens, each and every one of us, to recognize the role of the ocean in our lives, to talk about its importance, to recognize our influence on the ocean, think about our behaviors and propose actions, public policies, and innovative tools that help conserve the ocean and ensure the quality of life for future generations. The launch event in Santos will be an opportunity for recognizing and valuing what has already been done in this area in different countries and boost new actions and discussions.

 

The launch event for the Ocean Literacy materials is organized in three stages. On the afternoon of 5 September, the Ocean Decade will be presented to government representatives and educators, and Ms Santoro will give a lecture on ocean literacy and its potential for application in Brazil. The same afternoon, there will be discussion on different approaches to promote Ocean Literacy in inland areas of the country, far from the coast, with reports on the theme of ocean pollution from schools in cities far from the sea: São Paulo (70 km), Rio Claro (200 km) and Ribeirão Preto (350 km). The Oceanos para Leigos (Ocean for lay people) Project will also report on the use of social media to promote Ocean Literacy in both coastal and inland cities.

 

On the second day, the programme will continue in partnership with the British Council, addressing the role of social engagement and innovation to strengthen Ocean Literacy, discussing approaches in schools and communities, as well as discussing the role of public policies for environmental education. In the afternoon, there will be discussion about the role of women in science, with the presentation of the Liga das Mulheres pelo Oceano (League of Women for the Ocean) and the launch of the challenge “Women at Sea”, which will take place in September and October: an invitation to all women to share their perspectives on Ocean Literacy.

 

At each session, experts and authorities will discuss future steps to promote Ocean Literacy in Brazil. Participating institutions include: British Council, FAPESP, CNPq, SESC, Boticário Group Foundation, WWF Brazil, SOS Atlantic Forest, EcoSurf, Colégio Magno de São Paulo, Colégio Koelle de Rio Claro, Colégio Marista de Ribeirão Preto, as well as the Coordination for Environmental Education of the Department of Environment of the State of São Paulo. Journalists and researchers will also participate, bringing their perspectives to discussions.

 

The event is free and will take place on 5 September (14.00-18.00) and 6 September (9.00-18.00) at the Association of Engineers and Architects of Santos (Dr. Arthur Porchat Street of Assis, 47 - Boqueirão, Santos - SP). The complete schedule and registration for physical participation can be found online (www.maredeciencia.com.br) and the whole event will be broadcast live over the internet in partnership with the Oceanos para Leigos Project, allowing online participation and interaction with discussions through questions and comments.

 

***

For more information, please contact:

Ronaldo Christofoletti, UNIFESP (christofoletti@unifesp.br); Phone: +55(13) 99606-0733

Francesca Santoro, IOC-UNESCO (f.santoro@unesco.org)

Quer percebamos ou não, nossa vida e rotina estão conectadas diariamente ao oceano. Nosso clima, alimento, história e economia – entre muitas outras coisas – são diretamente influenciados pelo oceano. E isso é verdade para todos, tanto para aqueles que moram nas áreas costeiras quanto para aqueles que moram longe da costa.

Em outras palavras, nosso relacionamento com o oceano deve ser reconhecido como uma cultura – uma cultura oceânica que envolve conhecimento, respeito, arte, costumes e é bordada no tecido de nossas vidas.

Nesse contexto, a Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO lançou seu programa de Cultura Oceânica, incluindo um portal online para promover a conscientização e o intercâmbio de conhecimentos e um guia e kit de ferramentas para integrar a cultura oceânica nas escolas do mundo todo. Promover a cultura oceânica é um dos objetivos da UNESCO para a Década das Nações Unidas da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (a Década dos Oceanos), que as Nações Unidas (ONU) proclamaram para os anos de 2021 a 2030.

Nesta semana, por meio de uma parceria entre o Programa Maré de Ciência da Universidade Federal de São Paulo e a Secretaria de Meio Ambiente do Município de Santos, será lançada uma tradução para o português do Ocean Literacy for all: A toolkit, com o título “Cultura Oceânica para Todos: um kit de ferramentas”, publicado pela COI para uso em escolas públicas e privadas em todo o Estado de São Paulo e, finalmente, em qualquer lugar do Brasil.

O kit em português será formalmente lançado durante um evento que acontecerá de 5 a 6 de setembro em Santos, a maior cidade portuária do Brasil. O lançamento contará com a participação de funcionários da COI da UNESCO, em especial, a autora do kit Francesca Santoro, coordenadora do programa de alfabetização sobre oceanos da Organização, e Vinicius Lindoso, oficial de comunicação da COI.

A “Cultura Oceânica”, termo brasileiro para Ocean Literacy, é um convite para escolas, empresas, ONGs, governo, universidades, comunidades, cidadãos, todos e cada um de nós, para reconhecer o papel do oceano em nossas vidas, para falar sobre sua importância, reconhecer nossa influência sobre o oceano, pensar em nossos comportamentos e propor ações, políticas públicas e ferramentas inovadoras que ajudem a conservar o oceano e garantir a qualidade de vida das gerações futuras. O evento de lançamento em Santos será uma oportunidade para reconhecer e valorizar o que já foi feito nessa área em diferentes países e impulsionar novas ações e discussões.

O evento de lançamento dos materiais de Cultura Oceânica é organizado em três etapas. Na tarde de 5 de setembro, a Década dos Oceanos será apresentada a representantes e educadores do governo. Francesca Santoro fará uma palestra sobre cultura oceânica e seu potencial de aplicação no Brasil. Na mesma tarde, serão discutidas diferentes abordagens para promover a cultura oceânica em áreas do interior do país, longe do litoral, com relatórios sobre o tema da poluição oceânica nas escolas em cidades distantes do mar: São Paulo (70km), Rio Claro (200km) e Ribeirão Preto (350km). O projeto Oceanos para Leigos também apresentará um relatório sobre o uso das mídias sociais para promover a cultura oceânica nas cidades costeiras e no interior.

No segundo dia, o programa continuará em parceria com o British Council, abordando o papel do engajamento social e da inovação para fortalecer a cultura oceânica, discutindo abordagens em escolas e comunidades, bem como discutindo o papel das políticas públicas de educação ambiental. À tarde, haverá discussão sobre o papel da mulher na ciência, com a apresentação da Liga das Mulheres pelo Oceano e o lançamento do desafio Women at Sea (“Mulheres no Mar”, em tradução livre), que ocorrerá em setembro e outubro: um convite a todas as mulheres para compartilhar suas perspectivas sobre cultura oceânica.

Em cada sessão, especialistas e autoridades discutirão etapas futuras para promover a cultura oceânica no Brasil. As instituições participantes incluem: British Council, FAPESP, CNPq, SESC, Fundação Grupo Boticário, WWF Brasil, SOS Mata Atlântica, EcoSurf, Colégio Magno de São Paulo, Colégio Koelle de Rio Claro, Colégio Marista de Ribeirão Preto, bem como a Coordenação de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Jornalistas e pesquisadores também participarão, trazendo suas perspectivas para as discussões.

O evento é gratuito e acontece nos dias 5 de setembro (14h-18h) e 6 de setembro (9h-18h) na Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos (Rua Dr. Arthur Porchat de Assis, 47 – Boqueirão, Santos - SP). A programação completa e as inscrições para participação presencial podem ser encontradas online (www.maredeciencia.com.br). Todo o evento será transmitido ao vivo pela internet em parceria com o projeto Oceanos para Leigos, permitindo a participação e a interação online com discussões por meio de perguntas e comentários.

***

Para mais informações, por favor entre em contato:
Ronaldo Christofoletti, UNIFESP (christofoletti@unifesp.br); Telefone: +55 (13) 99606-0733
Francesca Santoro, COI-UNESCO (f.santoro@unesco.org)